sábado, 15 de novembro de 2014

10 MULHERES MORREM COM ESTERILIZAÇÃO DETIDO O MÉDICO

Dez mulheres morrem após esterilização em massa na índia

11.11.2014 - 18:17
Dez mulheres morreram e 14 ficaram hospitalizadas, depois de serem submetidas a operações mal executadas de esterilização em massa, num "campo de planeamento familiar" no centro da Índia, no passado sábado.
EPA
Dezenas de mulheres estão hospitalizadas, depois de esterilização em massa, na Índia
Cerca de 83 mulheres foram submetidas à cirurgia e dezenas começaram a apresentar sintomas de choque tóxico horas após a intervenção, realizada num "campo de planeamento familiar", no estado de Chhattisgarh. Estes campos são parte de uma medida do governo que pretende controlar o crescimento exponencial da população indiana.
Segundo a Reuters, cada mulher voluntária recebeu um incentivo de 1,400 rupias, cerca de 20 euros, e os profissionais de saúde do centro receberam 200 rupias, cerca de 2,60 euros, por cada mulher que trouxeram para o campo.
A esterilização é o método mais divulgado de planeamento familiar na Índia e vários estados organizam programas daquele tipo, criticados por organizações não-governamentais, que consideram que as mulheres não são corretamente informadas dos riscos e que os procedimentos não são feitos nas melhores condições.
Num artigo do New York Times podem ler-se as declarações de Amar Singh Thakur, diretor-adjunto dos serviços de saúde do distrito de Bilaspur, que relata que um único cirurgião realizou a operação nas 83 mulheres, num período de apenas seis horas. "Isto significa que não pode ter perdido mais do que alguns minutos com cada paciente", transcreve o jornal americano.
As mulheres foram submetidas a uma esterilização laparoscópica, um processo pouco invasivo que visa bloquear as trompas de Falópio e é realizado geralmente sob anestesia geral.
As causas das mortes ainda não estão esclarecidas, mas os serviços de saúde locais consideram vários cenários, nomeadamente a possibilidade do equipamento cirúrgico estar infetado.


Detido médico responsável por esterilizações após morte de 13 mulheres na Índia

13.11.2014 - 09:31
A polícia deteve um médico que executou cirurgias de esterilização em massa no centro da Índia, as quais causaram a morte a 13 mulheres e levaram ao internamento hospitalar de várias dezenas, informou fonte oficial.
 
O médico, R.K Gupta, foi detido para interrogatório na quarta-feira no estado de Chhattisgarh, disse à AFP o inspetor geral da polícia Pawan Deo.
As cirurgias levadas a cabo durante o fim-de-semana num acampamento sanitário estiveram na origem de várias complicações de saúde das mulheres que a elas se submeteram.
Segundo a AFP, o médico operou, em apenas cinco horas, 83 mulheres que pagaram 1400 rupias (18 euros) no âmbito de um programa estatal de esterilização para reduzir o crescimento populacional.

Sem comentários:

Publicar um comentário