quarta-feira, 29 de outubro de 2014

OS ENFERMEIROS ATINGIRAM A HORA DA VERDADE

Já não suportam enganos nem manobras vãs, sem sentido nem conteúdo.
O PCP entrou mal em Portugal, porque ficou muito parecido com o regime que terminou no 25 de Abril de 1974.
Então, no sindicalismo só mudaram a seta de sentido: direita-esquerda. O restante ficou como era dantes, com os salazaristas convictos, agora órfãos de pai, a jurarem fidelidade aos novos ditadores.
O nosso Sindicato foi o único, onde as tentativas de assalto não deram resultado.
E a Enfermagem subiu ao nível a que tinha direito : CORPO ESPECIAL, CARREIRA ESPECIAL, LICENCIATURA.

A força que demonstrámos, na greve de 1976, com a oposição dos Enfermeiros Comunistas, cegou-os e como enguias, que são, não pararam de assaltar tudo que tenha poder enfermeiro.

O azar dos Enfermeiros é que, tendo-se deixado seduzir, alguns, pelas utopias comunistas, acerca dos amanhãs, que hão de cantar, se cantarem, abriram as portas da Enfermagem (lembro os 15 anos de unicidade entre a Ordem dos Enfermeiros tendo como Bestonária a Enf.ª Augusta de Sousa + SEP) de tal maneira, que, hoje há muito boa gente e mal informada, que entende que o controlo da Profissão se faz ali, e por ali.
Já não é assim e cá estamos nós e outros como nós, para o provarmos.
Entretanto, o pior de tudo isto; esta demasiada ligação de bastantes Enfermeiros, ao PCP, muitos sem o saberem, faz com que as elites políticas olhem para os Enfermeiros como material do PCP a que ligam a mesma importância, que ao dito, ou seja; 7% de valor matricial, que é o nível constante da votação nacional no PCP.
Natural e insensivelmente, os Enfermeiros tendem a perder o estatuto de "Corpo Especial" e de "Carreira Especial", que não se coadunam com as "Carreiras Gerais" da Função Pública, onde os Enfermeiros SEP são bandeira ao serviço da Frente Comum, comandada por Avoila.

Como estamos a fazer a verdade vir à tona, como o azeite e a nata, com factos e não com suposições, a supraestrutura PCP abana: problema seu.

Uma verdade total: quanto mais depressa arrancarmos a Enfermagem das influências do PCP, mais depressa se valoriza e sobe dos 7%, que são muito poucos e quem tem de nos atender nas negociações colectivas estava a pensar não se preocupar, porque tinha um óptimo colaborador na estrutura do PCP, que aborta as negociações para manter o descontentamento, do qual se alimenta.
Os Enfermeiros da ULSNE sentem que têm de ser os primeiros a ficar na história da Enfermagem, no ressurgir da Classe Enfermeira.

E a supraestrutura PCP abana e escreve um elogio desta maneira e feitio, sim, porque estas palavras num PCP são um elogio puro. Têm um efeito semelhante ao de um frasco de perfume de rosas, numa retrete entupida.
 Vejam isto:


Imagine-se esta afirmação [ O Dr. Marçoa, vai saber as promessas e ameaças que andas a pregoar (de pregoão) aos enfermeiros no teu tempo de serviço. Prepara-te que vais bailar....diz a besta quadrilateral].

Qualquer militante da linha PCP está autorizado, por solidariedade com o todo PCP, a dizer e escrever isto; por isso dou o benefício da dúvida aos Enfermeiros dessa ideologia, os autores da besteira, sem os criticar, enquanto seguidores dessa linha política, pois os gostos não se discutem, mesmo os daqueles que os têm estragados.
Depois é pessoa que lida de perto com o Dr. Marçoa, e conhece muito bem a sua forma de agir.
Se conhecesse a legislação sindical como conhece o Dr. Marçoa saberia que o Delegado Sindical tem o direito e dever de promover o seu Sindicato e as acções deste e ninguém a pode proibir dessa acção, obviamente, durante as horas de serviço.
Também não aprecia as mulheres e os seus dotes, porque demonstra derrapar nas curvas. 

Agora, meu cara de arrastadeira transbordante, volte-se para mim, pois quem fez as afirmações fui, eu José Azevedo e não menti, como vai ter oportunidade de ver.
Fica-lhe mal estar a servir-se da nossa distinta Colega, como espelho e especular através dela, fazendo-a reflectir a imagem que lhe mostra, a sua.
Aconselho-o a voltar-se para a parede, olhá-la como muro das lamentações (com o devido respeito pelos seus crentes) e desabafar a sua infelicidade acerca das opções que fez e de que não consegue livrar-se, ao ponto de fazer a figura que fez, sem se reconhecer nela.
Não vê que se se fizer nosso sócio, vai beneficiar das mesmas mentiras de que acusa a nossa ilustre Delegada Sindical?
Já estamos habituados às asnices e respectivas origens.
Quanto ao Dr. Marçoa, poupe as reservas, mesmo que merdíferas, pois eu próprio me encarrego, em nome dos interessados, de o pôr ao corrente do que vai receber, em termos de ACT e outros assuntos.
E mesmo que você tenha outros compromissos com o Dr. Marçoa, desde que não colidam com os nossos projectos, não os invejamos. Esteja seguro disso.
Nós negociamos o que é de lei e à luz do dia.

É caso para dizer com pleníssimo cabimento:
[ de um coice de burro ninguém está livre!]

Com amizade e recomendação ao Deus Poderoso que não escreva nada no livro das reclamações, a seu respeito, porque, feita uma análise levemente hermenêutica, com a ajuda do deus Hermes, verificou-se que não sabe o que diz e parece também não saber o que faz. Cuide-se e tire a máscara. Fale comigo cara-a-cara!
José Azevedo 

Sem comentários:

Publicar um comentário